ANTÓNIO DE SOUSA DIAS

Bio, works, projects, writings...

  • Aumentar o tamanho da fonte
  • Tamanho padrão da fonte
  • Diminuir tamanho da fonte
Entrada R&D Karlheinz Stockhausen: Elektronische Studie II (1954)

Karlheinz Stockhausen: Elektronische Studie II (1954)

Descrição

As orquestras e partituras Csound apresentadas, propõem uma simulação do início de Elektronische Studie II (1954) de Stockhausen em duas versões.

Uma primeira transcrição respeita o nível de superfície da parte que se convenciona chamar geralmente de “partitura”: a indicação da disposição temporal dos acontecimentos e o seu comportamento global. O nosso primeiro passo consistiu na transcrição da partitura e a concepção da orquestra. esta foi concebida como um instrumento que se desdobra em cinco alternativas: a cada número de instrumento corresponde um tipo diferente de mistura sonora (Tongemisch). Evidentemente, estes instrumentos não dão o resultado que se escuta na obra. Com efeito, na época, Stockhausen confrontava-se com a pesquisa de meios para tornar os sons electrónicos mais vivos. Esta necessidade era sentida devido ao carácter muito estático dos materiais de, por exemplo, Elektronisch Studie I. Assim, na partitura de Elektronische Studie II é descrito um método para a obtenção de tais sons.

A segunda versão da orquestra toma em consideração a totalidade das informações da partitura, ou seja, que os instrumentos criados simulam uma possibilidade de obtenção de sons vivos, embora através de um pequeno desvio (sobre o momento e não previamente). a activação do instrumento provoca uma sucessão de impulsos que respeitam as frequências e as durações indicadas e que são enviados para uma câmara de reverberação (tempo de reverberação de 10 segundos). O resultado, tomado após meio segundo, é sujeito a uma modulação dinâmica. Isto quer dizer que não se ouve o resultado sonoro produzido pelo instrumento durante o seu primeiro segundo de activação. A única modificação da partitura consiste na adição de um segundo à duração de cada acontecimento. O resultado sonoro é mais convincente que o primeiro, porque traduz mais fielmente a partitura não apenas do ponto de vista da disposição temporal dos acontecimentos, mas sobretudo porque respeita o método de produção sonora.

O patch Max que acompanha os ficheiros Csound é constituído por um sintetizador monofónico propondo as mesmas duas abordagens em tempo real.

Estes patches foram desenvolvidos no âmbito de um doutoramento apoiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior - Portugal).

Carregar os Ficheiros

icon Stockhausen's instrument for Elektronisches Studie II (12.96 kB) (adap.): Ficheiros Max e Csound

Referências

Sousa Dias, A. "Deux contributions à la pédagogie de la musique électroacoustique et l’informatique musicale", Actes des Journées d’Informatique Musicale, AFIM/GRAME, Lyon, 2007.

Actualizado em Quarta, 20 Maio 2009 23:48